16/10/2014 Artigo: o planejamento com sustentabilidade

Artigo: o planejamento com sustentabilidade

O Brasil está passando por um momento em que a falta de planejamento urbano traz prejuízos à sociedade e é evidenciada a medida em que se instala o caos. Um dos exemplos é a crise energética. Segundo a  Associação Brasileira das Empresas de Conservação de Energia (Abesco), apenas em 2013, o desperdício de energia elétrica em todo o Brasil chegou a mais de 10% de tudo o que foi produzido. Este volume conseguiria abastecer os estados do Rio de Janeiro e Ceará durante o período de um ano. Nas empresas, essa situação não é diferente, e a questão da gestão e do planejamento tornam-se fatores cruciais e determinantes para o sucesso corporativo. Para um correto planejamento, a sustentabilidade passa a ser integrante de todo o processo, pois como o próprio conceito diz, planejar é perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina. E este é um ciclo que nunca tem fim.
 
Dessa forma, a sustentabilidade alia-se ao planejamento, quando, entre outros assuntos, fala-se de gestão dos riscos atrelados ao negócio, visão de futuro e a preparação às demandas do mercado e da sociedade. Ou seja, se antecede às demandas e tendências do mercado na busca de mitigar riscos e impactos, e não mais na correção deles. É ter o olhar para o futuro, visando o desenvolvimento sustentável no qual consegue-se o equilíbirio entre os fatores ambientais, econômicos e sociais.
 
Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a taxa de mortalidade das empresas com mais de dois anos de funcionamento corresponde a 24,6%, mas esse problema não está apenas relacionado as Pequenas e Médias Empresas como também aos grandes negócios.
 
Paralelamente ao número de empresas que vão a falência em pouco tempo, está o índice de empresas abertas no Brasil. Segundo o estudo “Perfil Empresarial Brasileiro” do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), de janeiro a abril de 2014, o setor financeiro foi o que apresentou melhores resultados, com um aumento de 7,4% na abertura de empreendimentos, em relação aos quatro primeiros meses de 2013.
 
Para chegar ao patamar ideal de planejamento, o que uma empresa precisa fazer é inserir em seu planejamento estratégico a melhoria contínua de seus processos e produtos. Isso tornará a sustentabilidade e avaliação de impactos econômicos, sociais e ambientais como subsídios cada vez mais importantes para as tomadas de decisões.
 
Essa maturidade conquistada por uma empresa pode dar a ela uma série de benefícios. Entre eles, os argumentos necessários para explorar os desafios e na tomada de decisão em investir em uma gestão sustentável de seus negócios dando ênfase aos ganhos futuros. Entre eles, a diferenciação de produtos para gerar valor à marca e o direcionamento de estratégias de marketing.
 
Ferramentas que forneçam subsídios para esse tipo de atuação podem auxiliar empresas nesse processo decisório. Ferramentas estas, de gestão para a sustentabilidade, que podem colaborar para que as empresas planejem melhor suas ações. O que priorizar em determinado momento, sem deixar de lado algum aspecto importante em uma cadeia produtiva é outro fator. Isso está intimamente ligado a sustentabilidade, planejamento e ação.
 
As empresas precisam se planejar cada vez mais. As demandas da sociedade são cada vez mais desafiadoras, maiores e contínuas. O mesmo deve acontecer com a gestão dos negócios. Melhoria contínua!

Fonte: Emiliano Graziano / Fundação Espaço ECO®.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.